quinta-feira, 7 de abril de 2011

7 experiências com água para fazer em casa

por Marion Frank
Ilustrações por Claudia Marianno



Selecionamos algumas atividades usando a água, para mostrar a seu filho conceitos básicos de ciências. São sete experiências fáceis de fazer em casa. Ideias simples, mas valiosas, pois provam o quanto a água é um recurso importante para o planeta – e o homem. Ela pode ser utilizada para marcar o tempo e sustentar a vida, além do emprego em processos industriais, por exemplo. “Os experimentos demonstram como a água está presente em atividades do dia a dia, atividades essas pouco identificadas por nós”, realça Mario Domingos, curador científico da mostra Água na Oca, do Instituto Sangari. “E eles ganham ainda mais importância ao aproximar a água do universo da criança e do adolescente”, diz Cristian Annunciato, pesquisador do mesmo instituto.
1) Flutua ou afunda?
Objetivo: investigar por que alguns objetos flutuam e outros, afundam.
Providencie um balde ou uma bacia e encha com água
Escolha objetos que possam ser colocados em contato com a água, como brinquedo de plástico ou talheres e copos (também de plástico). E separe em dois grupos, nomeando os que vão flutuar e os que vão afundar
No recipiente com água, verifique entre os objetos que flutuam aqueles que, quando submersos por completo, mesmo assim retornam à superfície (com isso, eles provam que são menos densos do que a água)
Compare agora os objetos que afundaram com os que flutuaram. E entenda que não é apenas o peso que interfere, mas também a forma de cada objeto e o volume de água que ele desloca quando em contato com a água que vai determinar se ele afundará ou flutuará
2) Como limpar a água?
Objetivo: conhecer processos em uso no tratamento (caso da filtração) e na obtenção de água potável
Em uma jarra com água, coloque um pouco de terra e folhas secas. Essa água vai representar a coletada de lagos e rios – a ideia é agir de modo a “limpar”essa água
Pegue uma garrafa PET de 2 litros e corte-a ao meio. Na parte do bico, coloque um chumaço de algodão por dentro da garrafa de modo a fechar o gargalo
Coloque, depois, algumas pedras pequenas sobre o algodão e cubra com areia
Despeje lentamente a água “suja” dentro da garrafa, fazendo-a passar pela areia. Por fim, compare a água antes e depois da ação do filtro
3) Foguete de água
Objetivo: evidenciar a tensão superficial da água
Providencie uma bacia ou forma de pizza e encha com água
Recorte um pedaço de papel, com aproximadamente 5 x 2 cm, com o formato da figura abaixo
Coloque essa lâmina de papel sobre a água de maneira que fique flutuando na superfície
Pingue uma gota de detergente na abertura retangular e observe o que ocorre com o barco. Ele vai se mover porque a gota de detergente rompe a tensão superficial da água, movendo o que está na superfície
4) Erosão
Objetivo: Relacionar a movimentação da água com o arrasto de solo
Em uma bandeja, monte uma amostra de solo de modo a criar camadas com a superfície de inclinação bem pronunciada
Corte uma garrafa PET de 2 litros ao meio e use a parte com bico como se fosse um funil
Faça um furo bem pequeno na tampa e coloque água dentro desse “funil”
Segure a metade da garrafa com o “funil”sobre a amostra de solo e deixe a água correr bem lentamente. Observe o que acontece por onde ela escorre – a água forma imediatamente “valetas”. A formação dessas “valetas” só vai ser controlada, se incluir sementes de grama a título de vegetação no experimento
5) Dilatação anômala da água
Objetivo: Verificar a variação de volume de água, quando passa do estado líquido para o sólido
Encha uma garrafa PET de  600 ml com água de modo a não deixar espaço para o ar. Feche bem a tampa. Pegue, depois, outra garrafa PET de mesmo tamanho e feche bem a tampa – em seu interior, só haverá ar
Observe o formato das garrafas e deixe-as no congelador por algumas horas (ou seja, até a água em estado líquido ter se transformado em gelo)
Após o congelamento, observe outra vez as garrafas. O que ocorreu? Aquela só com ar pode até diminuir ligeiramente de tamanho, enquanto que a garrafa cheia de água vai ficar estufada, provando que a água resfriada aumenta de volume
6) Variação do volume de água e do gelo
Objetivo: Verificar se há variação do volume de água em estado líquido em um copo com gelo depois de ele ter derretido por completo
Coloque gelo em um copo transparente e acrescente água até o ponto que o gelo comece a flutuar, sem tocar no fundo do copo.
Marque, com caneta, a altura que a água em estado líquido atingiu no interior do copo
Observe o copo após algumas horas, quando o gelo tiver se derretido. O que terá acontecido com o nível da água em estado líquido? Nada, isso porque o gelo, ao flutuar, desloca uma quantidade de água que é equivalente ao seu peso
7) Relógio de água
Objetivo: também chamado clepsidra, funciona por gravidade. Um dos primeiros sistemas criados pelo homem para medir o tempo – data de 600 a.C
Corte ao meio uma garrafa PET de 2 litros. Fure a tampa com um prego, usando martelo
Pegue a metade da garrafa com a tampa (A) e coloque de cabeça para baixo dentro da outra metade da garrafa (B)
Encha o recipiente A com água de modo a que comece pingar na outra metade (B) Deixe escorrer por 30 minutos e marque, com caneta, a altura da água acumulada em B. Repita a operação a cada 30 minutos até a água acabar em A
Volte agora toda a água A. Quando o nível de água atingir a primeira marca de caneta, terão sido transcorridos 30 minutos; quando chegar na segunda marca, uma hora e assim por diante

terça-feira, 5 de abril de 2011

"Não vos inquieteis com nada! Em todas as circunstâncias apresentai a Deus as vossas peocupações, mediante a oração, a súplicas e ação de graças. A paz de Deus, que excede toda a inteligência, haverá de guardar vossos corações e vossos pensamentos, em Cristo Jesus"
(Filipenses 4: 6-7)

segunda-feira, 4 de abril de 2011

FORMAÇÃO


A exigência quanto ao grau de educação acadêmica para a formação de um professor varia de acordo com a área pretendida. Veja o que você precisa fazer para se habilitar a ensinar onde deseja:
Licenciaturas: os cursos de licenciatura habilitam o profissional a atuar como professor na Educação Infantil, no Ensino Fundamental e Médio. São cursos superiores de graduação que formam profissionais licenciados em Química, Física, Letras, Matemática, Geografia, Ciências Biológicas e Pedagogia.
Normal Superior: curso superior de graduação, na modalidade licenciatura. Tem por finalidade formar professores aptos a lecionar na educação infantil e nos primeiros anos do ensino fundamental.
Magistério: não é curso superior, mas de nível médio. Habilita o professor para lecionar na Educação Infantil.
Pedagogia: o curso de Pedagogia é um curso superior de graduação, na modalidade de licenciatura e tem como finalidade formar professores para atuar na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental (até o 5º ano). É aquele professor que assume integralmente o currículo da série. Os cursos de pedagogia também formam profissionais para atuarem na gestão do sistema escolar, mas a prioridade é a formação de professores.
Bacharelado: os cursos de bacharelado não habilitam o profissional a lecionar. São cursos superiores de graduação que dão o título de bacharel. Para atuar como docente, o bacharel precisa de curso de complementação pedagógica. E para lecionar no Ensino Superior exige-se que o profissional tenha, no mínimo, curso de Pós-Graduação Lato Sensu (especialização).
Fonte: www.mec.gov.br

SEGUIDORES